-

Algarve – belezas de Portugal

A região de Algarve, em Portugal, é repleta de belezas naturais, culturais e arquitetônicas! As principais e agitadas cidades são Faro (capital da região), Lagos, Portimão e Albuferia. Os destinos mais tranquilos e igualmente belos são Aljezur, Olhão e Alcoutim.

albuferia PORTUGAL 2011  (Albuferia)

Em visita à quente e badalada cidade de Albuferia, as construções claras em vários desníveis chamam bastante atenção, e formam uma linda vista! A cidade foi povoada inicialmente pelos romanos, que a nomearam Baltum. Depois pelos árabes, que a batizaram Al-buhera (“pequena do mar”). O domínio mouro, que durou mais de cinco séculos, deixou muitas heranças arquitetônicas para o local.

A zona de Albuferia possui uma das maiores concentrações de bandeiras azuis (símbolo europeu para a alta qualidade das praias), e atrai muitos turistas por essas belezas naturais, águas cristalinas, pela pintura expressionista de João Bailote e pelo agito do local.

Pelas ruas, é possível observar a arquitetura Estilo chão, desenvolvido durante o domínio filipino em Portugal e Espanha, estilo com um estrutura clara e robusta, com superfícies lisas e pouca decoração.

lagos PORTUGAL 2011(Lagos)

O verão na região é bastante quente. Por isso, as fachadas são, em sua maioria, claras, proporcionando maior conforto térmico interno; além de uma vista incrível aos turistas encantados como eu!! :)

bolsa02 (1)

patri_17

patri_20

 

(Imagens: Betadecora e albufeira.pt)

 

Berlim – isso inspira MOVIMENTO

A capital alemã é um deslumbre para quem gosta de MOVIMENTO! Uma cidade com muitas marcas da história e muito desenvolvimento ao mesmo tempo, Berlim não para. E recebe milhares de turistas nessa atmosfera especial e dinâmica.

A capital possui muitos expoentes históricos da arquitetura. Um dos principais com certeza é o Portão de Brandemburgo. Como um sinal de guerra, foi encomendado pelo rei Frederico Guilherme II, construído por Carl Langhans entre 1788 e 1791. Entre os anos de 2000 e 2002, o Portão foi totalmente restaurado. Ao estilo neoclássico, possui doze colunas dóricas e cinco vãos centrais. No topo o que se vê é a estátua da deusa grega Irene – deusa da paz, puxada por quatro cavalos. Após a queda do muro de Berlim, se tornou marco oficial da reunificação alemã. Hoje, é o coração da cidade e dos turistas, com muitos artistas, guias e pessoas de todo o mundo!

01 berlim

02 berlim

O Memorial do Holocausto também é um grande marco da cidade. O processo da criação do Memorial envolveu a abertura de uma licitação pública, que recebeu centenas e propostas. Em 1999, o projeto aprovado foi o do arquiteto americano Peter Eisenman. Inaugurado em 2005, o espaço consiste numa área de 19 mil m2, coberta com quase 3 mil blocos de concreto ou stelae , que variam de altura. “A sensação de estar alí é quase como se fosse um labirinto, incrível!” – comenta nossa arquiteta Roberta Ruschel.

03 berlim

 

Outro marco que também pode ser visitado, e que se tornou uma galeria a céu aberto, são os segmentos do Muro de Berlim. 1,3 km do muro (East Side Gallery) receberam grafites feitos em 1990 por 118 artistas de 21 países. Muita cor e vida a este marco histórico, vale a pena visitar!

04 berlim

 

Além desses, Berlim apresenta muitos outros projetos arquitetônicos marcantes, tais como a Philharmonie & Kulturforum (sala de concertos), o Tempodrom (arena que lembra a catedral de Brasília e recebe diversos tipos de evento), a Casa das Culturas do Mundo – Haus der Kulturen der Welt, que recebe arte contemporânea internacional.

Philharmonic-and-Chamber-Music-HallPhilharmonie & Kulturforum

tempodrom_nachts_6000pxTempodrom

Haus_der_Kulturen_der_Welt_NachtaufnahmeCasa das Culturas do Mundo

Berlim realmente não para. Em meio a tanta história, as construções estão sempre a todo vapor, e a cidade sempre se reinventando. Uma visita à capital alemã desperta a vontade do movimento e de não perder tempo! E não é? :)

 

Guggenheim – a arquitetura superando limites

Esta é, com certeza, uma das construções mais incríveis do mundo!

A arquitetura do Museu Guggenheim, em Bilbao (Espanha) é uma combinação extraordinária de formas e materiais. Situado em uma área de 32.500 m² , o edifício apresenta blocos ortogonais em calcário contrastando com formas retorcidas recobertas de aço. Tudo isso se integra com paredes de vidro, proporcionando a luz necessária. Devido à complexidade das formas, o projeto do arquiteto Frank Gehry necessitou de cálculos estruturais especiais em software CAD para que se tornasse possível.

01

A construção, que praticamente revitalizou turisticamente a cidade de Bilbao, traz significados e referências super interessantes!

As superfícies de titânio lembram escamas de peixe, o átrio central com 50m de altura lembra uma flor e, quando visto do rio Nervión, o museu tem a forma de um barco, homenageando a cidade portuária de Bilbao. Um projeto cheio de organicidade, como costumam ser as obras de Frank Gehry!

gugge (8)

“Visitar uma construção como essa é um presente para qualquer arquiteto! Ainda mais quando se trata de um espaço feito para a arte. E ainda me surpreendi: a orientação na parte interna do museu é bastante clara e ordenada. Com certeza uma visita inesquecível!” – comenta Roberta Ruschel.

03

 

 

Bruxelas #meinspira

A cidade escolhida para o #issomeinspira desta semana foi a capital da Bélgica, Bruxelas.

Muito mais que inspirador, o pais do chocolate, da batata frita, do waffle e da cerveja artesanal conta com uma arquitetura riquíssima, e Bruxelas deixa varias cidades no chinelo no quesito beleza.

Todos que conhecem sua “Grand Place” tenho certeza que concordam com esta afirmação, pois ela é inclusive considerada patrimônio da humanidade pela Unesco. Da para acreditar? Fica evidente o mix de estilos nos prédios que cercam esta praça maravilhosa, desde o neogótico da prefeitura até os adornos super barrocos nas casas, explica Roberta Ruschel.

Mas não é só isso não, nossa arquiteta ainda menciona que o Palácio Oficial dos reis Belgas também é deslumbrante, e que para os adoradores das revistinhas em quadrinhos lá também é o local correto. É muito legal ver os painéis pintados e esculturas em escala gigante misturados a arquitetura local. Eu também não sabia, mas os inventores das “Aventuras de Tim Tim” e dos “Smurfs” são Belgas, diz nossa arquiteta.

image6 image9 image5 image11

image12 image8 image10 image7 image13